E porque não voar?

March 19, 2019

“Do que tenho medo é de teu medo.” 

WILLIAM SHAKESPEARE

 

 

"Quando eu era criança eu nunca sabia descer de árvores, eu sempre era a última a chegar numa corrida e era a única que pegava a bola quando caia nos espinhos".

 

Lembro-me como se fosse hoje, o medo sempre me acompanhou na infância, estava ali, lado a lado comigo, fosse na hora de dormir, ir ao banheiro, em fim, o interessante é que quando apagavam-se as luzes, a minha cama ficava rodeada de velhinhos anões (eu tinha uma fábrica de duendes no imaginário), eu não sabia o que era pior, se era encará-los e ver nitidamente como eles eram, porque eu ficava curiosa para saber de onde eles vinham, ou se me cobria por inteiro ficando quase sem ar. Daí que quando o medo era maior do que eu, o jeito era berrar:

 

- Maããããããããe, tem um bicho enorme aqui.

 

Rapidinho ela vinha, e assim ficava ali, de plantão até eu pegar no sono. 

 

Toda criança tem uma história de medo para contar, é difícil achar criança corajosa.

 

O medo permite decidir se devemos enfrentar ou fugir de uma ameaça, a partir de um cálculo veloz que é feito na área do cérebro responsável pelos comportamentos primitivos, associados à sobrevivência. A região do cérebro que ativa o medo é o córtex pré-frontal. A mesma região é associada com os analgésicos naturais, produzidos pelo corpo para reagir ao pânico. 

 

 

Diante do medo das crianças, alguns pais censuram seus filhos, outros se tornam super protetores, outros ainda as subestimam e atuam, frequentemente, através de comportamentos inadequados. No meu caso a minha mãe sempre foi super protetora e ainda hoje é, muitas coisas eu aprendi a me libertar, não é um processo fácil, são experiências que passamos e as vezes são desagradáveis.

 

Decidir o que fazer com esses aprendizados é uma tarefa que só você é capaz de realizar. Vencer seus medos é algo tão importante na vida, que talvez seja o que determina o que você quer, que posições quer alcançar. 

 

-Procure fazer uma autoavaliação da sua vida, da sua infância.

-Quais momentos marcaram sua vida por causa de seus medos?

-O que você superou?

-Como você se vê hoje?

 

Aí eu pergunto? E porque não voar?

Você pode alçar voos rasantes.

Às vezes é necessário tirar os pés do chão, conquistar espaços, ousar, fazer coisas que nunca fez.

Pense nisso! Rompa seus medos! 

 

 

 

 

Lane Lucena
...................................................................
Psicanalista Clínica, pós-graduada em comportamento organizacional e gestão de pessoas. Especializações em psicopedagogia clínica e psicologia e saúde mental. Coach de escrita e Facilitadora de Práticas de Atenção Plena 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now