Seguindo trilhas, construindo estradas

February 8, 2019

 

Ninguém é igual ao seu vizinho. Cada profissional tem seu modo de pensar e de construir uma organização melhor. Claro que pode haver mais pessoas com pensamentos em comum, mas pode haver exceções também. Geralmente, as pessoas formam parcerias de acordo com o que lhe convém e aí está o perigo: a trilha do sucesso quem constrói é você.

 

O melhor exemplo para analisar descuidos é a rede social Facebook. Eduardo Saverin assinou um contrato o qual saiu lesado diminuindo apenas as suas ações por direito. Esse conceito é o que mais podemos tirar do acirramento com Mark Zuckerberg. Após esse episódio cada um seguiu seu caminho construído por si mesmo: com a Facebook comprou outras empresas menores com potenciais investimentos; o outrem investiu em empresas pequenas com o mesmo viés, mas como investidor-anjo. Semelhanças à parte, as trilhas que cada um possui são marcadas por seus talentos.

 

Com várias dificuldades no passado, as empresas desenvolviam seus serviços e produtos tentando demonstrar que tinham preço baixo ou qualidade suficientes. A tecnologia ganhou força, o consumidor ficou mais perfeccionista e as empresas tiveram que se adaptar ao conceito de inovação e novas metodologias sustentáveis.

 

Não parou por aí: em cada segmento que variou, não só os tipos de investimentos, financiamentos e condições para a compra de matérias-primas, organizações tiveram que olhar além, adentrar caminhos até antes desconhecidos, novos mercados.

 

 

A churrascaria gaúcha Fogo de Chão é um exemplo, porém em outro setor e com dois irmãos. Após venderem a empresa à gestora GP Investimentos, cada irmão tomou par-te de que era direito e trilhou caminho diferente, mesmo o sucesso iniciado por um só caminho. Após um período, Jair voltou ao segmento com os restaurantes NB Steak e participações em redes de pizzaria e restaurantes, Jair vendeu já sua participação em uma rede de churrascarias.

 

Independente se o sucesso começa junto ou alia-se a outros sócios, o sucesso que leva seu nome é seu. E essa jogada não é egocêntrica, pois o esforço demonstrado desde quando a empresa não era conhecida até virar conceito ou chamar a atenção de clientes pelo seu estilo é longa. Só quem presencia adversidades, passa por barreiras e encara desafios e objetivos entende que a estrada que se constrói não tem preço.

 

 

..................................................................
Sobre o autor
Thales Kroth é Palestrante na ODAC, Colunista em sites e blogs e Voluntário na ONG Parceiros Voluntários; com formação em Técnico em Contabilidade e Graduando em Administração e em Gestão Financeira pela Unisinos; gaúcho e solteiro.  

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now