A escrita "terapêutica" ou "expressiva", pode reduzir a depressão, aumentar a produtividade e até mesmo reduzir visitas ao médico

November 15, 2017

 

Por que você faz o que você faz?

Qual tipo de energia mantém você acordado até tarde da noite ou que mantém você desperto na parte da manhã? Qual lugar te traz felicidade? O que distancia você de seu maior sonho?

Essas são Perguntas Poderosas. 

 

Acredita-se que escrever as respostas pode ser decisivo.

Jordan Peterson, professor de psicologia da Universidade de Toronto, durante décadas, ele foi fascinado pelos efeitos de escrever sobre a organização de pensamentos e emoções. Ele é coautor de um artigo que demonstra um efeito surpreendente. Os resultados demonstrados tem por base a aplicação de um exercício de escrita curta no estabelecimento de metas em 700 alunos ao longo de 2 anos.


Experiências que remontam à década de 1980 mostraram que a escrita "terapêutica" ou "expressiva", pode reduzir a depressão, aumentar a produtividade e até mesmo reduzir visitas ao médico.

"O ato de escrever é mais poderoso do que as pessoas pensam", diz Peterson.

A maioria das pessoas lida em algum momento da vida com uma ansiedade que flui livremente e que absorve energia, aumentando o estresse. Por meio da reflexão escrita, você pode perceber que certo sentimento desagradável se relaciona, digamos, com uma interação difícil com a sua mãe, por exemplo. Esse tipo de visão foi apontado na pesquisa, de forma que a escrita pode ajudar a localizar, resolver a entender emoção e o estresse associado. Ao mesmo tempo, a definição das metas tem que ser escrita de forma alcançável, com estratégias específicas, assim podendo ajudar as pessoas a superarem obstáculos e a alcançarem metas e sonhos.

“Ele mudou minha vida”


Recentemente, os estudiosos foram ficando cada vez mais interessados no papel que as motivações mentais desempenham no resultado da aprendizagem – “retenção do aprendizado” ou "mentalidade aberta".

Peterson questionou se a escrita poderia ser vista como modificadora da motivação dos alunos. Ele criou um curso de graduação chamado Mapas de significado. Nele, os alunos completam um conjunto de exercícios de escrita que combinam escrita expressiva com estabelecimento de metas.

Os estudantes refletiam sobre momentos importantes em seu passado, identificavam as principais motivações pessoais e criavam planos para o futuro, incluindo metas e estratégias para superarem obstáculos específicos. Peterson chama as duas partes "de autoria passado" e "de autoria futuro”.

"Descobriu-se completamente a minha vida", diz Christine Brophy, que, há vários anos na faculdade, lutava contra problemas de abuso de drogas e problemas de saúde e estava à beira de abandonar a escola. Depois de adotar a proposta de Peterson, da Universidade de Toronto, ela mudou de ideia. Hoje ela é uma estudante de doutorado e uma das principais assistentes de pesquisa de Peterson.

Em um estudo inicial na Universidade McGill, em Montreal, a prática da escrita mostrou um efeito positivo forte com os estudantes em situação de risco, reduzindo a taxa de abandono e aumentando o desempenho acadêmico.


(artigo adaptado do original publicado: https://www.npr.org/sections/ed/2015/07/10/419202925/the-writing-assignment-that-changes-lives

 

Abraços,
Lane Lucena
...................................................................
Psicanalista Clínica, pós-graduada em comportamento organizacional e gestão de pessoas. Especializações em psicopedagogia clínica e psicologia e saúde mental.   

 

Coach de Vida e de Escrita e Facilitadora de Práticas de Atenção Plena. Criadora do "Curso e da Coleção de Cadernos Terapêuticos EscrevArte - A arte de escrever - que utiliza o recurso da escrita expressiva e intuitiva como ferramenta de autoconhecimento.  

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now